PIB em baixa, inflação em alta

publicado em: 14 de agosto de 2012

"Só falta o crescimento econômico, mas vamos fechar o ano numa situação melhor%u201D Fernando Pimentel, ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

O mercado está desanimado e vem jogando cada vez mais para baixo as previsões de crescimento da economia, enquanto coloca em posição contrária a expectativa para a inflação. O Boletim Focus, relatório semanal em que o Banco Central reúne as previsões de analistas e consultores, reforça essa avaliação. No documento divulgado ontem, a projeção para a alta do Produto Interno Bruto (PIB) do país ficou em apenas 1,81% — na semana passada era de 1,85% e há um mês encontrava-se em 1,90%. Já a estimativa para a inflação sobe há cinco semanas sem parar e está agora em 5,11%.

Diante de tanto pessimismo, as expectativas se voltam para o pacote que o governo deve anunciar nesta semana e para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), no fim do mês. Ninguém duvida de uma nova queda na taxa básica de juros. A redução da Selic foi, inclusive, tema de declarações do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, no Rio de Janeiro.

Apesar da presidente Dilma Roussef já ter chamado a atenção da equipe várias vezes para que deixe o assunto juros para o Banco Central, Pimentel garantiu que a taxa vai cair ainda mais. Segundo o ministro, todos os fundamentos macroeconômicos da economia são sólidos. "Só falta o crescimento econômico, mas vamos fechar o ano numa situação melhor", observou.

Pessimismo

O governo tenta injetar otimismo, mas estudos internos da equipe econômica dão conta de que a atividade pode não acelerar no ritmo desejado. Oficialmente, o Ministério da Fazenda ainda prevê um PIB de 3% para o ano, mas contas feitas pela área técnica são até mais pessimistas que as do mercado e indicam uma expansão em torno de 1,7%. Culpa da indústria, que apresenta uma retração bem maior do que o esperado.

Para o economista André Perfeito, da Gradual Investimento, a piora nas projeções já deve ter chegado ao ápice. "A exótica combinação de baixo crescimento com mercado de trabalho ainda em alta está produzindo a redução do PIB potencial", explicou. Segundo ele, 2012 já acabou e a virada para 2013 vai depender muito das medidas de estímulo ao investimento a serem anunciadas.

Fonte: Correio Braziliense



Compartilhe:

Voltar
RESPONSABILIDADE SOCIAL
OUVIDORIA: 0800 725 0996

Atendimento: segunda a sexta, das 8h às 20h.

www.ouvidoriasicoob.com.br
Deficientes auditivos ou de fala: 0800 940 0458
Canal de comunicação de indícios de ilicitude
Clique aqui para ter acesso.
2016 © SICOOB COCRED. Todos os Direitos Reservados.