Setor celebra Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito com crescimento superior a 18%

publicado em: 19 de outubro de 2017

Setor celebra Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito com crescimento superior a 18%

Regionalização, proximidade com as comunidades e cuidado no relacionamento, aliados aos princípios cooperativistas, contribuem para o bom desempenho apresentado pelo segmento.

“Sonhos prosperam aqui”. Não foi à toa que o Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (WOCCU) escolheu este tema para o Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito, comemorado na terceira quinta-feira do mês de outubro. Com um conjunto de produtos e serviços atraentes e preços e taxas competitivos, o ramo vem conquistando cada dia mais adeptos e se destacando com números mais expressivos, ano após ano, em todo o mundo. A data, que este ano será celebrada em 19 de outubro, foi instituída com o objetivo de firmar a essência do poder transformador de realidades que o modelo cooperativista confere ao sistema financeiro.

Aqui no Brasil, aproximadamente de 9 milhões de pessoas já conhecem as vantagens de fazerem parte do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), composto por mais de mil cooperativas. E, ao ampliar o olhar, veremos que ao redor do mundo, esse número ultrapassa a casa dos 231 milhões de pessoas que sonham, realizam e prosperam. O Panorama do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo, divulgado no início deste segundo semestre, pelo Banco Central, aponta que a participação das cooperativas de crédito aumentou em todos os principais indicadores do Sistema Financeiro Nacional (SFN), atingindo seu máximo histórico.

De acordo com o presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato, os preceitos sólidos e éticos das cooperativas de crédito permitem que o sistema cresça à margem do cenário econômico. “Uma das principais vantagens do cooperativismo de crédito é a sua capilaridade, já que as cooperativas de crédito, muitas vezes, são as únicas instituições financeiras presentes em determinadas localidades”, afirma.

Em Minas Gerais, das 768 cooperativas associadas à organização, 190 são do ramo crédito, contabilizando mais de 1,1 milhão de associados e gerando cerca de 9,3 mil empregos.

Crescimento acima da média

Acompanhando essa tendência e, ainda, com crescimento acima da média, a Unicred do Brasil aumentou em 22% os depósitos totais, atingindo saldo médio superior a R$ 7,6 bilhões. O ativo total do Sistema Unicred cresceu 19,9% e alcançou R$ 9,3 bilhões. Já o patrimônio líquido aumentou 9,2% e o saldo médio das operações de crédito teve uma expansão de 9,6%, atingindo R$ 4,8 bilhões em dezembro de 2016. O capital social da instituição subiu 7,8% e alcançou um saldo de R$ 1,1 bilhão.

Os demonstrativos dos oito primeiros meses deste ano apontam para a elevação dessa projeção. Os ativos totais já chegam próximos a 18% e a liquidez geral ultrapassa os 38%, se aproximando dos 5,5 bilhões. Os depósitos à vista chegam a 1,1 bilhão. A entidade cresceu também em volume de cooperados, que evoluiu 6,8% em relação a 2016, já alcançando os 7% de 2016.

Fortalecimento por meio da regionalização

Para o diretor-presidente da Unicred Central Multirregional (UCM), Mauro Toledo Sirimarco, a forte atuação regional fortalece o sistema, pois estimula o desenvolvimento e o apoio às comunidades em que estão inseridas. “Isso permite conhecer profundamente a economia da sua região e consequentemente os setores que apresentam crescimento, estagnação ou retração, ajudando na tomada de decisão pontual para cada setor”, afirma.

Simimarco ressalta que o crescimento da confiança da população por instituições financeiras cooperativistas foi sentido pela Unicred Central Multirregional. A Central Cooperativa que atende mais de 40 mil pessoas nos estados de Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Goiás e São Paulo, conta com 12 cooperativas singulares e 89 unidades e negócio, disponibilizando diversos serviços financeiros.

‘Presença’ é a chave

As cooperativas de crédito subiram em 40% sua participação no mobile banking e devem investir mais de R$ 500 milhões em novas tecnologias neste ano. Dentre os valores de investimentos em tecnologia previstos para esse ano, as três maiores cooperativas do País, incluindo a Unicred, alcançam mais de R$ 500 milhões. Porém, mesmo que a automação seja uma tendência constante, na contramão dos bancos, essas instituições devem abrir mais de 150 novos pontos de atendimento no próximo ano.

No sistema cooperativo, há debates frequentes para tratar da relação com os associados, de forma a manter a atuação também em pontos físicos. Para Ana Carolina Ramos Sousa de Menezes, superintendente da UCM, abrir agências, bem como manter a segurança e a eficiência nas plataformas digitais, são pontos importantes para cultivar o relacionamento com o cooperado, em consonância com a premissa do crescimento mútuo.

“Somos digitais, mas não abrimos mão de um relacionamento próximo e diferenciado. Concentramos toda energia e inteligência para que nossos cooperados se sintam numa posição diferenciada, combinando encantamento, custo-benefício e assessoria técnica. No entanto, estamos alinhados às tendências do mercado financeiro e crescendo de forma expressiva”, acrescenta a executiva.

Vantagens sobre o sistema convencional

Conta corrente, cartões de crédito e de débito, operações diversas, financiamentos, linhas de crédito e muitos outros serviços. As cooperativas guardam muitas semelhanças com os bancos comerciais, mas os diferenciais que contam a favor do sistema cooperativo são significativos. Os cooperados são mais que clientes, são os donos do ‘negócio’ e participam das decisões – isso, aliás, é uma das maiores vantagens que o sistema cooperativo proporciona e um dos principais pontos de atratividade para expansão do setor.

Os usuários das linhas de crédito se beneficiam de taxas diferenciadas e da redução de tarifas, sem falar das aplicações e de sua rentabilidade atrativa. Assim como o SFN, o sistema cooperativo de crédito é assegurado por um fundo garantidor constituído nos moldes do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que atende os bancos convencionais. Por terem diferentes atuações, o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop) e o FGC são independentes, mas compartilham a mesma cobertura de R$ 250.000,00 por CPF ou CNPJ para recuperar os depósitos ou créditos das operações financeiras em caso de intervenção ou liquidação extrajudicial.

Investimento em capacitação

Para atender a uma demanda do Conselho Especializado do Ramo Crédito da Organização das Cooperativas Brasileiras (Ceco/OCB) e do Banco Central do Brasil, o Sistema Ocemg realiza o Programa Formacred, voltado para conselheiros administrativos e fiscais de cooperativas de crédito. Entre os objetivos do Programa estão o aperfeiçoamento técnico e comportamental, a contribuição para o aprimoramento da governança corporativa nas cooperativas de crédito, bem como para o processo de desenvolvimento, profissionalização e aumento da competitividade desses empreendimentos frente ao Sistema Financeiro Nacional.

No dia 19, data que será celebrado o Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito, este ano, será iniciado, na sede do Sistema Ocemg, o módulo 4 do programa iniciado em abril e com término previsto para novembro, totalizando 88 horas de formação.



fonte: Portal do Cooperativismo Financeiro

Compartilhe:

Voltar
RESPONSABILIDADE SOCIAL
OUVIDORIA: 0800 725 0996

Atendimento: segunda a sexta, das 8h às 20h.

www.ouvidoriasicoob.com.br
Deficientes auditivos ou de fala: 0800 940 0458
Canal de comunicação de indícios de ilicitude
Clique aqui para ter acesso.
2016 © SICOOB COCRED. Todos os Direitos Reservados.